Cultura do jiló (Solanum gilo)

O jiló (Solanum gilo) é uma planta anual, de origem desconhecida, pertencente à família das solanáceas (Solanaceae).

No Brasil a produção está concentrada principalmente nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. O estado do Rio de Janeiro é o maior produtor nacional respondendo por 32% da produção.

 

Flor do jiló

Fruto do jiló

Escolha da variedade

Dentre as cultivares existentes as que mais se destacam no cenário produtivo são: Morro Grande e Rei do Verde (variedades com frutos redondos e coloração verde-clara), a cultivar Morro Grande (produção de frutos de formato globulares e coloração verde-escura) e Comprido Verde-claro e Tinguá (variedades com frutos alongados, coloração verde-clara e resistência à doenças como antracnose e à murcha-bacteriana.).

Clima e época de plantio

Por ser uma planta de clima quente e muito exigente em temperatura a época de plantio mais indicada para o jiló encontra-se entre os meses de setembro a fevereiro, sendo que também é cultivado ao longo do ano, porém em regiões de baixas altitudes e que apresentam inverno suave, visto que a cultura é bastante sensível ao frio.

Mudas de Jiló

Escolha e preparo do solo

Em relação ao tipo de solo por ser uma cultura rústica, em relação às demais solanáceas, o jiló é menos exigente em nutrientes e mais tolerante à acidez, motivo pelo qual geralmente não se fazem aplicações de calagem para o seu
cultivo

O jiló apresenta melhor desenvolvimento em solos de textura areno-argilosa, embora apresente bons rendimentos e capacidade de adaptação a variados tipos de solo. Por ser uma cultura intolerante ao excesso de água exige solos bem drenados e cuidados na irrigação.

Em relação à necessidade de calagem, de acordo com a análise de solo recomenda-se fazer a correção do mesmo quando estiver com pH abaixo de
5,5 e o teor de alumínio for superior a 0,2 cmolc/dm³. O preparo do solo é caracterizado por uma aração e/ou gradagem de maneira que fique bem nivelado e fofo. Após o preparo do solo deve-se fazer o preparo das covas e as adubações orgânica e química, baseadas na análise de solo, sendo que ambos os procedimentos devem ser feitos com antecedência ao plantio das mudas.

Adubação orgânica

A importância da adubação orgânica para a cultura ressaltando que a mesma é muito benéfica principalmente se for feita nos 30 dias que antecedem
o plantio das mudas (desde que seja farta). Na adubação orgânica pode ser usado esterco puro de galinha (2 litros de esterco por metro de sulco) além de outras fontes de matéria orgânica,  como fontes alternativas 5-8 ton/ha de esterco de ave; 10-15 ton/ha de esterco de cama de ave ou composto orgânico; e 20-30 ton/ha de esterco de curral/ha.

Adubação química

A recomenda como aplicação, no caso de ausência de uma análise de solo 360 g do adubo químico 04- 14-08, 2 g de bórax e 2g de sulfato de zinco. Pórem as adubações devem ser realizadas mediante a interpretação da análise de solo associadando a Tabela 1 e 5.

Tabela de niveis de fertilidade

Tabela de recomendação de adubação

Adubação de cobertura

Na adubação de cobertura recomenda-se a aplicação de 60-70 kg/ha de N em parcelas de 4-5 aplicações; 60-70 kg/ha de K2O (em casos de solos pobres) em doses iguais. recomenda que a adubação de cobertura seja feita 30 dias após o transplante das mudas e em intervalos consecutivos de 30 dias após o início da colheita, com aplicações de 15 g por planta do adubo 20-00-20.

Implantação da cultura: plantio e semeadura

Existem basicamente dois métodos a serem seguidos pelo produtor no plantio, ambos envolvendo processos de formação de mudas para posteriormente realizar-se o transplante:

  1.  Plantio em sementeiras, efetuando-se posteriormente a repicagem para copinhos de papel de jornal contendo uma mistura de solo com adubos; e transplante para o campo.
  2. Formação das mudas em bandejas de isopor com 128 células, contendo substrato; procedendo-se logo em seguida ao transplante.

Visando favorecer a produtividade e a longevidade da cultura, o autor recomenda espaçamentos largos de aproximadamente 110-150 x 70-100 cm.

A produção de mudas pode ser feita:

  1. De modo tradicional, ou seja, com semeadura em canteiros e repicagem para copinhos de papel utilizando-se substrato caseiro e posterior transplantio para o local definitivo.
  2.  Pelo método mais atual, que permite a obtenção de mudas mais uniformes e saídas e preconiza o uso de bandejas de isopor com substrato comercial que oferece maior segurança ao produtor por ser isento de pragas e doenças além de vir com os fertilizantes necessários.
  3.  Aquisição das mudas por meio de produtores especializados.

O transplantio das mudas para o local definitivo é feito quando as mudas apresentam em torno de 4-6 folhas definitivas, sendo que, produtor deve realizar uma rigorosa seleção das mudas a serem transplantadas, buscando
eliminar aquelas que possivelmente possam ser portadoras de doenças ou que apresentem qualquer tipo de anomalia. No local destinado ao plantio definitivo das mudas as covas devem ter medidas aproximadas de 25 x 25 cm, cerca de 15 cm de profundidade e ao serem transplantadas as plantas
devem ficar a uma profundidade maior em relação à que se encontravam durante sua fase de formação.

Sistemas de cultivo

  • o convencional, que preconiza a realização de um manejo padronizado e baseado em recomendações técnicas para a cultura, considerando operações de preparo (aração e gradagem) e correção do solo (adubação), de preparo das sementes, irrigação, tratos culturais e colheita;
  • cultivo protegido, feito em casas de vegetação ou túneis onde a cultura desenvolve-se em um ambiente alterado climaticamente o que possibilita ao produtor ter um melhor controle sob o desenvolvimento da cultura.

 Sistemas de irrigação

A irrigação seja feita somente no período seco (outono-inverno), quando necessário. A irrigação recomendada, em especial a localizada – por gotejamento, é um fator preponderante no desenvolvimento dessa cultura.
Porém os sistemas de irrigação mais usuais nesta cultura são por Infiltração (sulcos) ou aspersão.

Tratos culturais

Os principais estão voltados para a irrigação que é recomendada principalmente para o período seco e para o uso de estacas (estaqueamento)
utilizando-se varas de aproximadamente 80 cm de comprimento. Manter
limpo o terreno cultivado durante todos os estádios de desenvolvimento da cultura (não existe nenhum herbicida registrado para o controle de plantas
daninhas na cultura), com  capinas realizadas manualmente ou com auxílio de maquinário (microtrator). Como alternativa recomenda-se o uso de Mulching (cobertura morta com plástico preto,  método associado principalmente ao tipo de irrigação por gotejamento).

Anomalias fisiológicas

A ocorrência de anomalias fisiológicas é pouco comum na cultura do jiló, com exceção de cultivos submetidos a baixas temperaturas (durante
o inverno, por exemplo), onde pode ocorrer a queda de flores e frutinhos.

  • Principais doenças

1- Requeima (Phytophthora infestans): O fungo penetra a planta através de aberturas naturais ou ferimentos penetra a planta colonizando os tecidos e provocando a murcha das plântulas (em sementeiras).  Sua disseminação ocorre principalmente pelo escoamento de água no solo, por mudas e solo (aderido a implementos agrícolas) contaminados. As condições favoráveis ao seu desenvolvimento estão relacionadas a fatores como: temperatura (entre 22-28 ºC), longos períodos de chuva e solos com má drenagem. Seu controle pode ser feito tomando-se algumas medidas preventivas tais como: não realizar plantios em períodos quentes e úmidos; plantar em solos com boa drenagem; uso de cultivares resistentes; não
fornecer água em excesso; e fazer rotação de culturas com gramíneas (por cerca de 3 anos).
2- Antracnose (Colletotrichum gloesporioides):  ocasiona danos mais agravados nos frutos caracterizados por lesões pardas e deprimidas. As condições propícias ao seu desenvolvimento são principalmente temperatura e umidade elevadas. O controle pode ser feito utilizando-se cultivares resistentes (Tinguá).
3- Mancha de estenfílio (Stemphylium solani): Ataca as plantas na fase de muda e quando estão adultas, ocasionando o surgimento de lesões pardas e pequenas. Seu controle pode ser feito com tratamento químico (uso de fungicidas cúpricos); realizando-se o plantio em área arejada; fazer rotação de culturas; destruir os restos culturais ao final de cada ciclo da cultura; e uso de sementes provenientes de frutos sadios.

4- Nematóides (Meloidogyne sp.): A sintomática da doença caracteriza-se principalmente pelo aparecimento de áreas engrossadas e encaroçadas (galhas) nas raízes, além do amarelecimento das folhas mais velhas, podendo evoluir nos casos mais severos para murcha e até a
morte da planta. O seu controle recomendam-se práticas como a não realização do plantio em áreas onde anteriormente houve incidência da doença; a rotação de culturas; e o plantio em solo esterilizado ou livre de
nematóides.
5- Murcha bacteriana (Pseudomonas solanacearum): Ataca as plantas causando podridão das raízes e escurecimento dos vasos, podendo também aparecer em alguns casos sintomas típicos de murcha na parte aérea.
O controle da doença pode ser feito através do isolamento dos focos da doença; de medidas preventivas; rotação de culturas com gramíneas; cuidados na irrigação; e com a procedência da água.

  •  Principais pragas

1- Lagarta rosca:  Causa danos às raízes e à base do caule na região do coleto da planta, ou pouco abaixo da superfície do solo, atacando a planta após a germinação e no período deperfilhamento.
2- Mosca Branca: Ocasiona danos diretos através da sucção da seiva da planta, além de injetar toxina nas folhas durante o ataque reduzindo a fotossíntese e provocando secreções açucaradas que favorecem o aparecimento de outras pragas como formigas, ou doenças, como os vírus e fungos. Os sintomas são percebidos principalmente nos frutos, que após o ataque apresentam-se sem coloração, totalmente brancos e fora do padrão comercial, além de apresentarem amadurecimento irregular, prejudicando sua qualidade comercial. Além destas, são também pragas características da
cultura o pulgão e o tripes.

Colheita e comercialização

Recomenda-se que a colheita seja iniciada com os frutos ainda imaturos  e as sementes tenras, visto que os frutos maduros não são adequados para consumo e, portanto não possuem interesse comercial.

Frutos de jiló imaturos

As colheitas iniciam-se aproximadamente 80-100 dias após a semeadura, podendo estender-se por mais de 100 dias, o que possibilita inclusive a
realização de uma nova colheita na primavera seguinte, após o inverno (caso seja feita uma cobertura com nitrogênio e recomecem as irrigações). O processo da colheita é feito manualmente , podendo o mesmo estender-se a três meses ou mais, dependendo das condições fitossanitárias e do manejo ao qual está sendo submetida a cultura.

O rendimento oscila entre 20-30 ton/ha, e que durante a comercialização os frutos. Durante a seleção dos produtos para comercialização são priorizados alguns fatores imprescindíveis para a obtenção de um produto final de
qualidade:

1- Ausência de lesões: A presença de lesões reduz o valor do produto além de
ser porta de entrada para fungos e bactérias e aumentar a perda de água ocasionando murchamento.
2- Boa aparência e aspecto: Esta característica assegura que o produto foi colhido no período correto de maturação e, portanto, apresenta todas as
suas propriedades conservadas como bons valores nutricionais, sabor característico e possui um maior tempo de conservação.
3- Limpeza e higiene: Uma hortaliça limpa e higienizada representa um produto saudável e livre de contaminações.
4- Ausência de manchas: A presença de manchas reduz o valor do produto devido ao escurecimento ocasionado pelas mesmas na área afetada, além de revelar que a hortaliça apresentou um amadurecimento desigual.

Fonte: Boletim Técnico – Gustavo Cardoso Gonçalves

About these ads

154 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Ademir José de Moura
    mar 01, 2014 @ 12:00:40

    Este site é muito esclarecedor e mostra também a excelente política de aproximação com os usuários. A parte de perguntas e respostas é extremamente útil. Tenho uma pequena hortaliça em minha casa em Uberlândia-MG. e toda vez que preciso, busco suas orientações no site. Até hoje não precisei perguntar nada, pois tudo o que eu queria, encontrei já respondido. Parabéns. Cadastrei meu e-mail para receber de vocês, novidades e outras notícias. É claro, se isso for possível, dentro de suas regras.

    Resposta

  2. elisabete maria
    jan 20, 2014 @ 20:52:52

    Oi oi gata garota dz ai se ja tava ate cm saudade d mim ne kkkkk ms tô aq traves p te pertubar. Duvda quando vc fala em 3 colheres de adubo. No vaso vc ta falando d adubo ja diluido exp: to usando 15 15dias um fertilizante liquido chamado prevente cobre. Home.uso 3colheres dele ja diluido segundo o rotulo ou se fala daqueles farelos. Diz ai meu jiloeiro deu umas florzinhas ms teve botoes q nem abriu parece seco o faco? Ja ate cortei uns galhos q tava feio haaa q coisa ia esquendo um novo ano cheio de sucesso p vc bujao gat

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      mai 03, 2014 @ 16:01:57

      Olá…
      A manutenção da planta é ótimo, retirar galhos velhos, folhas e flores velhas e secas ajuda a planta a concentrar a energia em outro pontos mais importantes!!!!
      Sobre a adubação, 3 colheres dela já diluído, pois é um vaso certo! Vc já tentou usar adubo orgânico? Ajuda muito!!!!

      Resposta

  3. veronica
    jan 06, 2014 @ 21:38:16

    Oi Alessandra, entrei no google para ver um pé de jiló, pois plantei sementes, e nasceram, mas meu esposo estava dizendo que é pé de urtiga, mas vendo os pé aqui no site vi que realmente é jió,amei o site.

    Resposta

  4. Jair Alexandre
    nov 10, 2013 @ 10:36:41

    Olá, Alessandra!
    Como vai?

    Eu gostaria de saber como eu posso combater as folhas amarelas do jiló, que possivelmente acredito que venha ser “requeima”. Essa praga também afetas as floradas?
    O que devo fazer para tornar a plantação livre desta praga?
    Obrigado!

    Resposta

  5. Fernando de Oliveira
    nov 08, 2013 @ 08:30:54

    Estou com um problema em uma horta prantei 300 pés de Jilo e tem alguns morrendo a doença começa sair uma mancha amarela na folhas e o pé começa a mucha se quebra o pé esta bocando por dentro preciso saber como combater este problema ou algum remédio que posso usar.

    Resposta

  6. Juliana
    out 20, 2013 @ 21:01:32

    Olá, minha pergunta é: posso semear o jilo em um vaso grande para não necessitar plantar depois em outro lugar? Tenho um aqui em minha casa e ainda não mudei de vaso pois está em um vaso grande, o problema é que está demorando muito para desenvolver, já tem 4 meses e uns cinco centímetros de altura, que faço? Tenho medo de mudar de vaso e a planta morrer, moro no Mexico e não tenho onde conseguir outras sementes, por favor me ajude. Muitas saudades de comer jiló.

    Desde já muito obrigada!

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      out 27, 2013 @ 17:23:30

      Olá…
      O jiló vai bem em vasos, largo e profundos. Como vc disse ele está em vaso grande, mas, caso precise mudar vaso, tente mudar sem prejudicar as folhas ou a raiz. Talvez ela esteja precisando de matéria orgânica, um solo muito fraco faz com a planta não desenvolva bem.
      O Jiló, é uma planta de clima tropical e subtropical, pode também ser cultivado em climas temperados amenos. Gosta de muita exposição solar. Tem preferência por solos de textura areno-argilosa, profundo, ricos em nutrientes e matéria orgânica, com boa drenagem (ela não curte solos muito encharcados. As suas necessidades de água são medianas, embora no caso da falta de chuva, as irrigações devem ser mais frequentes na fase de fixação das mudas ao solo. É importante manter sempre um bom suprimento de água para as plantas.
      Clima: entre 18 e 25 graus. Temperaturas altas e/ou a baixo não é legal. (Temperaturas mais elevadas proporcionam maior número de flores masculinas; por outro lado, temperaturas mais amenas e, com período curto de luz, estimulam maior número de flores femininas que darão origem aos frutos).
      Regas: a cada 3 a 4 dias. Água em excesso e/ou falta não dá fruto.
      Polinização: algumas vezes, talvez não esteja ocorrendo (polinização cruzada realizada por insetos como as abelhas, que fazem o transporte do pólen, por isso é proibido a aplicação de inseticidas, uma vez que exterminam com elas, além de contaminar os frutos e o meio ambiente).

      Obrigada e volte sempre :D

      Resposta

  7. Amade Pinho
    set 30, 2013 @ 14:05:54

    Olá, boa tarde a todos:
    É só para informar que consegui, aqui em Portugal colher alguns jilós, e este ano já não fico com tantas saudades do Jiló.
    É bem verdade que plantei um pacote de semente e só vingou, para transplantar seis pés, mas foram o bastante para matar saudades.
    Agora como estamos no outono, vou colocar uma cobertura por cima dos pés de jiló, para ver se eles suportam o tempo frio que vem pela frente, mas pelo menos, após 10 anos tentando cheguei a algum resultado.
    O sr. Adilson que disse que estava tentando cultivar os jilós em Portugal, não respondeu ao meu e-mail.
    um abraço a todos e no próximo ano se ainda por cá estiver dou noticias.
    Amadeu Pinho

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      out 19, 2013 @ 15:45:08

      Obrigada por voltar e contar suas experiências é muito bom … incentiva os outros e a mim …. fico muito feliz … e qualquer noticia ou ajuda pode contar com a gente.
      E volte sempre :D

      Resposta

  8. monica sá
    set 28, 2013 @ 16:57:44

    Ola! Gostei muito do seu modo de explicar, és bem didáctica! Bem… eu vivo em Portugal, e há um ano, trouxe do Brasil, dois envelopes de sementes de Jiló. Entretanto, em meados deste ano, mudei-me para uma casa que tem muito quintal para plantar, então, eu entusiasmada a cerca de um mês, semeei as sementes em copos de agua transparente, porém, coloquei muitas sementes em cada copo e agora elas estão com as raizes até ao fundo do copo e a boca repleta de folhas. Porém tenho agora dois problemas, aqui acabamos de entrar no outono, meu terreno é muito ventoso e levaria uma pequena estufa para outra cidade no primeiro vendaval que der. tenho um espaço debaixo de uma varanda, mas só bate sol a tarde, pergunto posso delicadamente mexer nas mudas e separar as raizes? plantaria algumas debaixo desta varanda e outras em vaso dentro de casa, o que faço?

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      out 19, 2013 @ 15:41:58

      Olá…
      Você pode sim mexer delicadamente nas mudinhas e separa-las, mas não plante direto no local definitivo. Recomendo que coloque-as em outro copinho e cuide com mais atenção, pois ela estará mais fragilizada, assim quando ela estiver mais fortinha vc transplanta para outro local definitivo. Jiló vai muito em vaso, mas o fato de ter pouco sol tardará a frutificação, pois o jiló gosta muito de sol, clima quente. Mas isso não impede você de plantar suas mudinhas.
      Obrigada e Volte sempre :D

      Resposta

  9. Carlos
    set 24, 2013 @ 01:35:07

    Olá, muito bom dia, antes quero parabenizar o site JORNAL AGRÍCOLA pelas ricas informações aos que vivem no campo, e porque não aos que curtem umas plantinhas na cidade também, preciso de uma informação e desde já agradeço, tenho um pé de jiló, daquele clarinho quase não amarga, deixei alguns frutos na arvore para adquirir sementes, os mesmos já estão vermelhos , gostaria de saber o momento certo para colher e como proceder para ter uma semente com qualidade.
    Abraços

    Resposta

  10. arlei maria rodrigues
    set 23, 2013 @ 20:45:43

    Tenho algumas plantas de jilo em vasos na sacada de meu ap.Elas estao na fase de flores,mas essas murcham e caem sem o fruto aparecer.Gostaria de saber o que fazer para que elas produzam.se possivel me responder o mais rapido.

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      set 27, 2013 @ 00:46:40

      Olá..
      É um pouco complicado dizer o que realmente seria, poderia poderia ser doença, pragas e até mesmo um adubação (falta ou excesso).
      Uma planta quando sadia (isenta de praga e doença) o problema seria a adubação e matéria orgânica. A causa principal de queda das flores do jilozeiro é a adubação desequilibrada, principalmente devido à deficiência de boro.
      Dê uma olhadinha em sua planta e veja o que falta ou o que tem demais … assim poderei ser mais especifica…

      Obrigada e volte sempre :D

      Resposta

      • arlei maria rodrigues
        out 01, 2013 @ 00:26:37

        Obrigada pela atencao. Observando as plantas Nao se nota nada de anormal.As folhas estao vicosas.Uma boa folhagem.Coloco ferrtilizantes que comprei na floricultura. Realmente. e uma pena nao vigar os frutos….fazer o que? Me indicaria algum adubo prpprio para frutos?Qual!?

        Resposta

        • Alessandra C. Oliveira
          out 19, 2013 @ 16:02:40

          Olá…
          Que triste você ver sua planta tão linda e não frutificando … E o mais estranho e que vc está fazendo uma adubação correta ….
          Então vou escrever alguns característica de alguns adubos … quem sabe não ajuda neh …
          Nitrogênio (N): Tem ação na parte verde da planta, e é um dos principais componentes das proteínas vegetais. Essencial para fotossíntese e respiração. Tem forte efeito no crescimento e nas brotações da planta. Efeitos de escassez: folhas amareladas.
          Fósforo (P): Ação na floração e na maturação e formação dos frutos, bem como no crescimento das raízes e divisão de células. Efeitos da escassez: atraso ou pouco florescimento, flores quebradiças e pequeno número de frutos e sementes.
          Potássio (K): Essencial para o crescimento e responsável pelo equilíbrio de água nas plantas. Atua no tamanho e qualidade dos frutos e na resistência a doenças e falta de água. Reduz o estresse por danos, secas, insolação inadequada, entre outros problemas. Torna a planta mais resistente. Efeitos da escassez: crescimento lento, raízes pouco desenvolvidas, caules fracos e muito flexíveis e formação de sementes e frutos pouco desenvolvidos.
          Cálcio (Ca): Atua na estrutura da planta como integrante da parede celular, tem efeito no desenvolvimento radicular, é indispensável para a formação de grãos de pólen e crescimento do tubo polínico. Toda a produção de óleos e essências vegetais depende do teor de cálcio na planta. Efeitos de escassez: baixo crescimento, pouca resposta à adubação, floração sem frutificação.
          Enxofre (S): Atua como coadjuvante para a absorção de ferro e nitrogênio. É essencial na formação de proteínas vegetais. Efeitos da escassez: similares e facilmente confundíveis com a escassez de nitrogênio.
          Forma de aplicação: em vasos aplicar uma colher de chá a cada 30 dias para cada 2 litros de terra. Em vegetais plantados no chão aplicar uma colher de sopa por mês para cada metro quadrado da copa da planta.
          Um exemplo de adubo: Adubo químico NPK 04 20 20 adicionado de 7% de cálcio e 5% de enxofre.
          Encontrei alguns site interessantes:

          http://www.plantasonya.com.br/adubos-e-substratos/adubacao-quanto-quando-e-como-fazer.html%5D

          http://estagiositiodosherdeiros.blogspot.com.br/2012/09/adubo-natural-como-fazer-sua-propria.html

          Espero que ajude!!!!
          Obrigada e volte sempre que precisar :D

          Resposta

  11. Creoslande Balduino de Souza
    ago 23, 2013 @ 20:29:41

    Trabalho com a cultura do quiabo, e gostaria de saber si o Jiló é da mesma familha do quiabo, e si da bem em solos arenosos?

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      ago 27, 2013 @ 20:32:22

      O Jiló, é uma planta de clima tropical e subtropical, pode também ser cultivado em climas temperados amenos. Gosta de muita exposição solar. Tem preferência por solos de textura areno-argilosa (não encontrei registros se a planta vai bem em solos arenosos, mas vai bem em solo mais arenoso que argiloso),profundo, ricos em nutrientes e matéria orgânica, com boa drenagem (ele é gosta de uma boa drenagem solos muito argiloso não seria muito recomendado) e ligeiramente ácidos com o pH variando entre 5,6 e 6,6. As suas necessidades de água são medianas, embora no caso da falta de chuva, as irrigações devem ser mais frequentes na fase de fixação das mudas ao solo. É importante manter sempre um bom suprimento de água para as plantas.
      Desculpe por não ter a certeza, mas espero que tenha ajudado
      Volte sempre que precisar :D

      Resposta

  12. MAURICIO SANTOS TEODORO
    ago 02, 2013 @ 13:05:45

    Meu pé de jiló da flor mas nao da o fruto. Aparentemente o pé é saudavel!!

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      ago 11, 2013 @ 21:15:51

      Olá…
      Clima: entre 18 e 25 graus. Temperaturas altas e/ou a baixo não é legal. (Temperaturas mais elevadas proporcionam maior número de flores masculinas; por outro lado, temperaturas mais amenas e, com período curto de luz, estimulam maior número de flores femininas que darão origem aos frutos).
      Regas: a cada 3 a 4 dias. Água em excesso e/ou falta não dá fruto.
      Polinização: algumas vezes, talvez não esteja ocorrendo (polinização cruzada realizada por insetos como as abelhas, que fazem o transporte do pólen, por isso é proibido a aplicação de inseticidas, uma vez que exterminam com elas, além de contaminar os frutos e o meio ambiente).

      Volte sempre :D

      Resposta

  13. ronimarques
    jul 13, 2013 @ 19:34:54

    oi ALESSANDRA tenho alguns pes de jilo so tem alguns frutos estao perfurados por algum tipo de larva qual tipo de enseticida q devo usar?

    Resposta

  14. J nilson felizardo
    jul 11, 2013 @ 08:12:15

    Ja mandei a imagem da planta pelo email.

    Resposta

  15. Ricardo
    jul 09, 2013 @ 00:31:33

    Olá Alessandra, para a plantação de jiló em larga escala (média 5 mil pés) até quantas colheitas o pé “aguenta” até não estar mais saudável, e uma outra duvida, desses 5 mil pés sabe me dizer o quanto eu iria conseguir colher (se tudo correr bem) em Kg, Caixas ou até mesmo R$ baseado na tabela do ceasa? Obrigado.

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      jul 20, 2013 @ 10:46:49

      Olá….
      Vamos imaginar …
      1 hectare plantado de jiló dá em torno 20 a 30 toneladas de jiló. No ceasa hoje, o JILO cx 16 kg está de 40,00 – 45,00.

      Obrigada e volte sempre :D

      Resposta

  16. Ivonilton Costa Sotero
    jul 08, 2013 @ 00:31:47

    Voltando a minha horta na large, que tlipo de telha eu devo usar na corbetura,
    para eu ter acesso ao raio solar.

    Resposta

  17. Marilza
    jul 07, 2013 @ 20:49:52

    olá Alessandra, adorei suas orientações muito boas. Gostaria de saber como preparar as sementes de jiló germinar em estufas. obrigada

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      jul 20, 2013 @ 10:20:49

      Olá
      Primeiramente,adquirir as sementes do jiló, você pode encontrar em casa agropecuárias ou em supermercados, um pacote contém 3 gramas e o custa em torno de R$2,00, mas você pode adquirir sementes de frutos de jiló maduros ou com uma coloração avermelhada, você pode encontrar em supermercados, feiras livres.
      De posse com a fruta do jiló, separe cuidadosamente com as mãos os as semente e deixe secar por 2-3 dias e posteriormente poderá ser semeados em copinhos de jornal ou de plásticos, desde que faça alguns furinhos bem pequenos no copo plástico para facilitar o escoamento do excesso de água. A semente vai germinar e crescer, você poderá fazer o transplantio quando a plantinha estiver com uns 10 a 15 centímetro, ai poderá plantar em covas. Não se esqueça de molhar todos os dias, as semente precisam de absorver muita água para germinar. Antes do plantio deixe-as mudinhas sofrer um pouco no sol, para que quando elas sofrem para o campo estejam mais fortes e resistes a falta de água e ao sol.
      Estas covas devem conter: esterco (de gado curtido ou de galinha) e adubação com cerca de 150 gramas (do adubo 04-16-08).

      Obrigada e volte sempre :D

      Resposta

  18. J nilson felizardo
    jul 06, 2013 @ 21:35:53

    Apareceu uma planta parecido com gilo ele tem a folha grande a fruta quando madura fica amarela e ela possue um tipo de pelo semelhante o da cana que planta sera esta?

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      jul 07, 2013 @ 21:47:23

      Desculpe, mas através dessa suas descrições não consigo lhe uma respostas certa.
      Teria como você tirar uma foto? Meu e-mail alessandraloirinha@yahoo.com.br
      Ficaria mais fácil, porém através dessas suas descrições continuarei minhas pesquisas.

      Obrigada e volte sempre :D

      Resposta

  19. elisabete maria
    jun 26, 2013 @ 19:27:21

    Ola Alessandra plantei um jiloeiro em umvaso bm grande e ele esta c +- um palmo de altura sera q conseguirei algum fruto tenho abaixo desse vaso q ta sobre uma mureta. Uma gardenia jasminoide q vive cheia d bichinhos p lo q pesquisei sao cochonilhas parece umas pintinhas pretas e junta muita formiga ja tentei todas receitas caseiras p acabar c eles nao consegui preciso descer o vso do jilo ms to c medo da praga da flor contaminar o jilo ja q o espaco entre eles sera menor q 1mt se poder me aconselhe algo gosto muito d jilo e dpois q soub das propiedades do fruto fiquei encantada por ele seu sit e muito bom poderia falar tbm sobre outros frutos e hotalicas p q uem quer produzir seu propio alimento bjuzao p vc ia esqecendo moro no Distrito Federal aq emuiito quente e seco

    Resposta

  20. Junior
    jun 06, 2013 @ 00:52:26

    Olah queria saber aonde encontrar a semente do gilo
    E como fazer um cormercio de gilo
    Quanto custao gilo ?

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      jun 08, 2013 @ 17:35:24

      Olá…
      A semente do jiló é fácil de conseguir, voce pode encontrar em casa agropecuárias ou em supermercados, um pacote contém 3 gramas e o custa em torno de R$2,00, mas você pode adquirir sementes de frutos de jiló maduros ou com uma coloração avermelhada, você pode encontrar em supermercados, feiras livres.
      De posse com a fruta do jiló, separe cuidadosamente com as mãos os as semente e deixe secar por 2-3 dias e posteriormente poderá ser semeados em copinhos de jornal ou de plásticos, desde que faça alguns furinhos bem pequenos no copo plástico para facilitar o escoamento do excesso de água. A semente vai germinar e crescer, você poderá fazer o transplantio quando a plantinha estiver com uns 10 a 15 centímetro, ai poderá plantar em covas. Não se esqueça de molhar todos os dias, as semente precisam de absorver muita água para germinar. Antes do plantio deixe-as mudinhas sofrer um pouco no sol, para que quando elas sofrem para o campo estejam mais fortes e resistes a falta de água e ao sol.
      Estas covas devem conter: esterco (de gado curtido ou de galinha) e adubação com cerca de 150 gramas (do adubo 04-16-08).
      O comercio de jiló pode ser feito informalmente, nos supermercados, restaurantes, ou em centros (como CEASA). Tudo vai depender da quantidade de produto que o você poderá fornecer aos clientes.
      O preço na verdade eu não sei ao certo, mas pode variar de R$ 25,00 – 50,00, a caixa de 22 quilos.

      Obrigada e volte sempre :)

      Resposta

  21. Antonio Olino Mesquita
    mai 09, 2013 @ 10:33:34

    Gostei muito deste site, pois sou técnico em agropecuária, e estou sempre consultando literaturas a respeito de plantas e plantios, hoje pesquisava o Jiló e encontrei tudo o que procurava, vou acrescentar este site nos meus favoriitos
    Muito obrigado
    Antonio Mesquita

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      mai 12, 2013 @ 20:55:31

      Que bom que ajudou…. e o blog tbem adora receber ajudas de seguidores… sinta-se a vontade para responder as perguntar e montar um post para colocar no blog ….
      Obrigada e volte sempre que precisar :)

      Resposta

  22. Ivonilton Costa Sotero
    abr 02, 2013 @ 13:37:55

    Eu gostaria de desenvolver um plantio, de horti-cultura numa laje, como devo proceder, e qual as plantas que posso cultivar no caco inclusive flores alimenticia.

    Resposta

  23. Jorge Demócrito Florencio
    mar 19, 2013 @ 22:45:45

    olá Alessandra! Gostaria de saber se devo deixar um “colo” ao capinar o jilo para melhor reter a agua e o adubo? Muito obrigado!!!

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      mar 28, 2013 @ 21:47:28

      Olá …
      Desculpe a demora, o “colo” sim ajuda, mas não o faça muito profundo para não deixar muita água. Coloque folhas, resto de materias da capina (secos), esterno, compostagem, ajuda também.
      Obrigada
      Volte sempre que precisar! :)

      Resposta

  24. Dário
    mar 17, 2013 @ 09:21:45

    Olá Alessandra, muito bom esse site, cai aqui por causa de uma pesquisa que estou fazendo, tenho um pé de pepino que nasce o pepino mas antes de cresce ele morre junto com a flor, você poderia me ajudar? o que tenho que fazer, Deus te abençoe.

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      mar 22, 2013 @ 09:16:01

      Olá.
      Ao analisar a sua planta, você consegue perceber alguma alteração (doença) ou alguma praga?
      Mas acredito que seja a temperatura a razão. As temperaturas mais quentes são as mais favoráveis para o cultivo; temperaturas mais elevadas provocam queda das flores e frutos. Clima quente, com temperaturas entre 26 e 28 ºC, é o mais adequado para o plantio do pepineiro. Em regiões mais frias, o cultivo deve ser realizado em locais protegidos, onde seja possível monitorar a variação da temperatura.O pepineiro depende da polinização cruzada realizada por insetos como as abelhas, que fazem o transporte do pólen, por isso é proibido a aplicação de inseticidas, uma vez que exterminam com elas, além de contaminar os frutos e o meio ambiente. Temperaturas mais elevadas proporcionam maior número de flores masculinas; por outro lado, temperaturas mais amenas e, com período curto de luz, estimulam maior número de flores femininas que darão origem aos frutos.
      Analise sua plantação, caso não seja essa razão que indiquei, volte e faça uma nova pergunta com mais detalhes. Ou se o senhor pode procurar uma casa agropecuária da sua cidade eles também podem ajudar.
      Obrigada por visitar o blog e volte sempre que precisar. :)

      Resposta

  25. Cláudio
    fev 17, 2013 @ 17:48:41

    eu perguntei se o jiló branco é comestível, e não obtive resposta…

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      fev 23, 2013 @ 14:27:20

      Olá….
      Desculpe por não responder sua pergunta, não devo ter visto. Mas procurei sua perguntar no post de jiló e tbem não encontrei. Devo ter perdido sua pergunta. Mil desculpas.
      O jiló branco é uma variedade menos amarga que os tradicionais. Rico em fósforo, ferro, cálcio, vitaminas B5 e C. Seus frutos brancos vão se colorindo para o laranja – vermelho, tornando a planta muito decorativa. Pode ser cultivada em vasos maiores.
      O fruto é consumido cozido e somente antes de seu amadurecimento. Infelizmente, no processo de cozimento, a vitamina C é eliminada. Ele pode ser servido como tira-gosto de bebidas alcoólicas.
      Espero que tenha ajudado … e desculpe novamente…
      Volte sempre que precisar :)

      Resposta

  26. João Luiz
    fev 16, 2013 @ 00:08:04

    Oi Ale
    Tenho tido muitos problemas em fazer as mudinhas de jiló. Moro no Canadá e tenho que começar agora em Fevereiro (dentro de casa),para transplantar em Maio. Eles tem que já estar maiorzinhas, para poder produzir algo até final de Outubro que já tá começa do esfriar de novo. Como posso fazer para dar uma arrancada? Tenho acesso a todos produtos ( não profissionais, de venda ao publico em geral), pois somoz muitos immigrantes, Italianos, Portugueses e brasileiros e outras origens que gostam muito de horta. Voce poderia me dar uma ajuda nesta area? Obrigadao

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      fev 17, 2013 @ 16:57:10

      Olá…
      Hum … dar aquela arrancada .. uma variedade precoce + adubação + efeito estufa (caso necessite) ….
      Uma adubação com todos os nutrientes necessário para um bom desenvolvimento… procure um lugar que venda produtos agricolas, e informe qual adubação que eles tem para colocar em produção de mudas de hortaliças.
      Para um efeito estufa e manter elas mais quentinhas…. tem as estufas climatizadas (que são caras), as estufas que vc pode fazer de vidros que ajuda tbem …. ou estufas normais e baratas, vou colocar um link que eu acho uma ideia super legal de estufa … http://www.facebook.com/photo.php?fbid=299067773527918&set=a.137228593045171.20432.135647029869994&type=1&theater
      Existem variedades precoces, será que vc consegue por ai?
      Mas são apenas alguns truques, como exemplo, a fertilização permite adiantar a colheita alguns dias, mas não muitooss dias.

      Espero ter ajudado o senhor, e volte sempre que precisar …
      O blog está aqui para ajudar …
      Obrigada :)

      Resposta

    • Sonia Carvalho
      jun 27, 2013 @ 10:07:59

      Oi João Luiz,
      Você vende sementes de Jiló, moro em Toronto e gostaria de plantar na minha casa também. Sou do sul de Minas Gerais e amo Jiló…
      Obrigado

      Resposta

      • Alessandra C. Oliveira
        jun 30, 2013 @ 17:24:30

        Olá….
        Não…. nenhum tipo de sementes :(
        Mas é fácil de conseguir sementes de jiló :)
        Sabe aquele jiló que você compra no supermercado … que está verdinho …. deixe ele madurar … ficar vermelhinho e depois retire as sementes do fruto e deixe secar um pouco … e depois só semear …
        Obrigada e volte sempre que precisar

        Resposta

  27. vilamar ferreira maia
    jan 03, 2013 @ 12:14:13

    gostei muito da ajuda quer vce da para as pessoas. agora gostaria de saber qual sera aproximadamente a producao de uma hectare por temporada

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      jan 08, 2013 @ 19:55:42

      Que bom que gostou…. gosto do blog… pois é aqui que posso ajudar um pouquinho …
      Mas vamos lá …
      Tudo depende de como vc irá cuidar de sua plantação, como por exemplo adubação, irrigações e entre outros. A colheita se inicia com 80 a 100 dias após o plantio e durante 3 a 6 meses. Vc pode colher o fruto com tesoura, enquanto verde e no tamanho máximo, uma ou duas vezes por semana. E sua produtividade normal: 16 a 20 t/ha.
      Espero que tenha ajudado … e volte sempre que precisar …
      Obrigada

      Resposta

      • donizete gonçalves
        jan 12, 2013 @ 18:30:06

        eu planto gilo meu problema e a vira cabeça o que posso fazer para noa dar mais essa doença

        Resposta

        • Alessandra C. Oliveira
          jan 19, 2013 @ 19:03:29

          Olá…

          Doenças causadas por vírus:
          Vários vírus podem atacar as hortaliças, como os tospovirus (vírus do vira-cabeça), transmitidos por algumas espécies de tripes, e os potyvirus (mosaicos), transmitidos por pulgões. Os sintomas são muito variáveis, dependendo da espécie e da variedade, da espécie do vírus, do grau de virulência da estirpe do vírus, da época em que a planta foi infectada e das condições ambientais, principalmente da temperatura. A planta infectada normalmente tem o seu desenvolvimento retardado. As folhas mais novas ficam pequenas, deformadas e apresentam diferentes tonalidades de verde e amarelo, com pontuações necróticas, algumas vezes com pequenos anéis concêntricos. Nos frutos, também ocorrem deformações, mosaico, necrose e anéis, estes normalmente de tamanho maior que nas folhas. Na maioria das vezes, não é possível diagnosticar as espécies de vírus envolvidas, através dos sintomas, sendo necessários testes em laboratório.

          Controle:
          As medidas de controle de vírus são preventivas e devem ser seguidas por todos os produtores de uma região;
          Medidas de higienização têm um efeito considerável na redução da incidência da doença: eliminar campos abandonados, erradicar plantas com sintomas no plantio quando a incidência for baixa, manter o campo e arredores livres de plantas daninhas;
          Produzir mudas em local protegido de insetos vetores, afastado dos campos de produção e pulverizando-as periodicamente para evitar que se infectem precocemente;
          Plantar as mudas no maior estádio de desenvolvimento possível, de modo a retardar as infecções precoces em campo pelo vetor;
          Pulverizar contra o vetor somente nos primeiros dias após o transplante;
          Plantar cultivares resistentes. Embora na atualidade praticamente não existam cultivares resistentes disponíveis, deve-se consultar as companhias de semente para novas cultivares com esta característica.

          Vou colocar a baixo alguns links para vc dar uma olhadinha, fala sobre controle alternativo de pragas, como tripes e pulgões:

          http://www.agronomianet.com.br/receitas_da_vovo_tabelas2.htm

          http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Melancia/SistemaProducaoMelancia/pragas.htm

          http://www.nossofuturoroubado.com.br/arquivos/marco_10/controle.html

          Espero que ajude…
          Obrigada e volte sempre

          Resposta

  28. Ademir Jardim
    dez 28, 2012 @ 06:11:30

    Ademir Jardim Miracema RJ. planto jilo e quiabo alem de algumas medicinais num
    pequeno quintal para insentivar minhas netas. Ainda atuo na ONG AMINATUR –
    Amigos da Natureza. Gostei das orientaçoes da Alessandra. Obrigado.

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      dez 30, 2012 @ 18:14:37

      Otima iniciativa ….
      Adoro plantas …
      E qualquer sugestão ao blog fique a vontade em dizer… o blog está aqui para ajudar … e volte sempre que precisar …
      Obrigada

      Resposta

  29. Carlos Gomes De Rossi
    nov 21, 2012 @ 15:32:52

    Alessandra,
    Ganhei sementes de um jiló grande, parece berinjela, ví na internet que existe uma nova vairiedade de nome JAÍBA, plantei numa jardineira, alguns pés, estão começando a dar flores de cor rosa que murcham e caem. Tenho adubado de 15 em15 dias com formula 04-14-08. Será falta de polinização? Não notei insetos. Este mes tem chovido muito aqui no ES. As plantas estão com boa aparência, folhas grandes e bonitas.
    Agradecido pela atenção,
    Obrigado.
    Carlos Gomes

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      dez 10, 2012 @ 13:08:06

      Ola,
      Desculpe a demora, mas estava colhendo informações de alguns colegas de trabalho.
      Geralmente, queda de frutos pode está relacionado com temperaturas altas e/ou baixas; deficiência nutricional principalmente fosforo e no caso de espécies alógamas polinização deficiente mais que não é o seu caso.
      Cuidado nas adubações, você está colocando a cada 15 dias uma formulação que tem apenas NPK, a planta também necessita de outro nutrientes como Ca, Mg e micronutrientes.É importante observar a quantidade. Se você tiver disponível esterco curtido, coloque um pouco. As chuvas em excesso também pode provocar queda de flores e frutos.
      Com relação ao inseto, existe no mercado defensivos que você poderia aplicar, mais não recomendo pois é apenas uma planta e na sua casa. Uma alternativa seria fazer mesmo a catação ou aplicar algum produto alternativo como calda a base de Nim, alho e outras.

      Espero que ajude vc… e volte sempre que precisar…. o blog esta aqui para ajudar.
      Obrigada

      Resposta

  30. osmar gomes
    nov 12, 2012 @ 21:37:40

    estou pensando em plantar uns 2000 mil pez de jilo pensei em compra as mudas mais esta muito caras sera que da certo fazer as mudas em casa sebe quantos dias elas gasta para poder ir para o plantio no campo . obrigado

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      nov 15, 2012 @ 23:38:17

      Olá…
      O bom de vc comprar as mudas que todas estarão no ponto de plantio, na quantidade que precisar.
      Produzir sua proprias mudas com certeza sairá mais barato… a desvantagem estará na desuniformidade de germinação das sementes caso vc resolva retira-las do fruto. Mas caso resolva comprar alguma sementes a germinação será mais uniformes…. As sementes compradas são baratinha de 1,00 a 2,00 reais …
      As extrações das sementes podem ser feitos manualmente. Mas a semente não pode ser aquela do fruto que você come, pois ele não está maduro. As sementes estão prontas quando o fruto fica vermelho, bem vermelho, um vermelho vivo, lindo. Mas você pode comprar eles verdes ou colher verdes e deixar madurar.
      Você pode adiquirir os frutos e deixem permanecer 48 horas em condições de ambiente (se ainda não estiver vermelho, deixe o tempo necessario para que a fruto fique bem vermelhinho), pode extrair as sementes, lava-las, secar. Quando tiver bem secas, suas sementes estão prontas para ser utilizadas.
      Você pode plantar as sementes em bandejas ou em saquinhos planticos. A semente vai germinar, crescer com dois cotilédones, vai se desenvolver até uns 10 a 15 centímetro, ou 5 ou 6 folinhas, quando estará pronta para ser plantada em covas. Não se esqueça de molhar todos os dias, as semente precisam de absorver muita água para germinar. Umas 10 g formam 1.000 mudas para transplante. E a germinação ocorre +ou- com 7 dias.

      Qualquer dúvida o blog está aqui para ajudar e volte sempre…
      Obrigada

      Resposta

  31. Amadeu Pinho
    nov 10, 2012 @ 11:07:30

    Alessandra,
    Passei um e-mail para ele vamos ver se responde.
    obrigado

    Resposta

  32. Amadeu Pinho
    nov 07, 2012 @ 00:02:09

    Alessandra:
    Gostaria de de saber o e-mail do Sr. Adilson do Carmo, aquele que estava cultivando jiló em Portugal, porque também moro em Portugal e se ele consegui produzir o jiló, gostaria de comprar para meu consumio.
    Desde já obrigado

    Resposta

  33. Simone
    out 31, 2012 @ 08:24:03

    Gostei muito do artigo ! Tenho alguns pés de jiló eles estão bonitos e já estão dando flores mas não estão dando fruto, vejo nos artigos que tem que usar adubo de cobertura mas qual é o mais indicado prefiro os orgânicos! Alguns dias atraz eles ficaram todos com furinhos nas folhas aí eu passei o oléo de nim que é um produto organico, aí ele ficou bonito mas só tem as flores? Já ouvi falar que pode ser tambem falta de insetos para fazer a polonização ou falta de calcio?
    2ª pergunta como posso encontrar laboratório possa medir o PH do meu solo e quanto custa mais ou menos por que os aparelhos que medem são muitos caros?

    Resposta

  34. laura pierre
    out 30, 2012 @ 18:50:59

    obrigada alessandra pela resposta valeo ,laura pierre

    Resposta

  35. laura pierre
    out 20, 2012 @ 17:53:43

    moro nos estados unidos, estado da florida, e dificil encontrar jilo aqui ,consegui crescer 3 plantas, estao bonitos dao flores mais nao vinga os frutos, q devo fazer? ha as folhas das pontas estao enrolando, por favor me ajuda, laura pierre florida estados unidos

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      out 28, 2012 @ 15:32:43

      Olá
      Verificaram que plantas submetidas a temperaturas menores que 10 °C apresentam abortamento de flores, escurecimento das sementes e a formação de áreas deprimidas na casca. Para o desenvolvimento dos frutos é favorecido em temperaturas próximas a 20 ºC. O crescimento das plantas do jiló é lento até os 105 dias após a semeadura, aumentando até o final do ciclo. A colheita se inicia aos 105 dias após a semeadura e aos 80 a 100 dias após a emergência das plantas, podendo o período produtivo prolongar-se por 3 meses ou mais, caso as plantas apresentem boa sanidade e vigor. Este longo período produtivo é devido à ocorrência de múltiplas floradas durante o desenvolvimento da planta.
      Clima: entre 18 e 25 graus
      Regas: a cada 3 a 4 dias.
      Espero ter ajudado, mas volte sempre que precisar …..

      Resposta

  36. Rose
    out 09, 2012 @ 23:04:50

    Boa noite ,Alessandra. me responde umas dúvidas por favor?
    fiz 2.000 mudas de jiló, elas estão se desenvolvendo bem, porém estão com muita desiguadade em tamanhos enquanto umas mudas ja estão com 5- 6 folhas outras ainda estão com 1 -2 folhas.o que deve ser? outra dúvida,elas estão aparecendo uns furinhos nas folhinhas,o que devo fazer?passar? e agora minha
    pior dúvida,posso tira-las da estufa onde fiz as mudas e estão até hoje e leva-las para o canteiro no campo,onde vão tomar sol direto sem proteção,elas não correm o risco de morrer? aguardo anciosa sua resposta. grata Rose.

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      out 10, 2012 @ 23:31:39

      Respondido.
      E desculpe a demora.
      Volte sempre que precisar.

      Resposta

      • Rose
        out 15, 2012 @ 07:49:04

        Bom dia ,Alessandra, agradeço imensamente sua resposta, foi muito boa, aproveitavel. Grata.Rose.
        Gostaria de lhe fazer mais uma pergunta,tenho facilidade em acesso em bagaço triturado de cana,de um alambique, minha pergunta é: posso forrar meus canteiros de jiló e pimenta dedo de moça com esses bagaços, para segurar a humidade da terra? agradeço desde ja.

        Resposta

      • Alessandra C. Oliveira
        dez 01, 2012 @ 08:27:35

        Olá,
        Desculpe a demora, mas acredito que sua repostas veio direto e não passou por analise e só vi agora.
        Mas é uma ótima pergunta. E vou tentar responder.
        O composto orgânico é um fertilizante a base de resíduos orgânicos que são decompostos de maneira controlada originando um fertilizante rico em nutrientes e em matéria orgânica que ao ser aplicado no solo proporciona um aumento da vida microscópica do solo. De maneira geral, todos os restos orgânicos vegetais ou animais
        encontrados poluindo o meio ambiente nas propriedades agrícolas podem ser utilizados na fabricação de compostos. Atualmente, os materiais mais utilizados são: restolho de culturas; palhas e cascas (espiga de milho, arroz, palhada do feijão); vagem; bagaço de cana; palha de carnaúba; palha de café; serragem; sobra de cocheiras e camas de animais.
        E vc pode fazer misturas com elas, que é muitooo bom.
        Mas não esqueça de conhecer seu solo. O primeiro passo para o sucesso da fertilização orgânica é conhecer o estado geral do solo. Há muitas formas de fazer isso. O agricultor, geralmente, sabe da qualidade do seu solo e desenvolve indicadores bastante precisos para avaliá-la. A presença de determinadas plantas, por exemplo, são indicadoras do ambiente. Quando a samambaia domina numa área, geralmente os solos são ácidos e com problemas de alumínio. A barba-de-bode também é hábil em crescer nos terrenos ácidos. O capim sapé cresce bem em solos pobres e compactados. A guanxuma (Sida spp.) é geralmente usada para indicar solos compactados. Já a beldroega e o caruru são típicos de solos de boa fertilidade.
        A coloração do solo também é bastante usada pelos agricultores para qualificar seu ambiente. Solos escuros geralmente indicam a presença de matéria orgânica e fertilidade. Solos amarelos e profundos são tipicamente de baixa fertilidade natural.
        Espero que ajude.
        Obrigada e volte sempre .

        Resposta

  37. Rose
    out 08, 2012 @ 09:07:21

    Olá Alessandra, gostei muito do seu site! Li todas as perguntas e suas respostas,mas ainda continuo com três dúvidas,fiz uma média de 2 mil mudas de jiló na estufa,1º: tem mudas que ja estão com 5 ou 6 folhas, mas tem umas que ainda estão com apenas 1 ou duas folhinhas muito desigual, sendo que foram plantadas no mesmo dia, é normal ? 2º: algumas folhinhas estão apresentando furinhos redondinhos perfeitos o que será? o que faço? 3º:para eu poder transplanta-las, eu posso tirar da estufa e ja coloca-las direto no campo?elas não vão morrer ?uma vez que a estufa as protegem do sol direto?Aguardo anciosa sua resposta grata (Rose)

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      out 10, 2012 @ 23:31:01

      Olá…
      Desculpe a demora.

      Primeira pergunta:
      Provavelmente a germinação foi desigual. Provavelmente você retirou sementes de frutos, por isso a desigualdade. Mas deixe mais dias essas mudas até ganhar mais tamanho e mais folhas e transplante depois.
      Mudinhas novas têm folhas pequenas, portanto precisam de pouca água; se você molhar demais o substrato encharca e as raízes não poderão respirar adequadamente e não vão se desenvolver. O ideal é deixar o substrato reduzir bem sua reserva de água entre as irrigações. Uma boa indicação é observar as mudinhas, e somente irrigar novamente um pouco antes delas começarem a murchar por falta de água. Com isto você também evitará maiores problemas com doenças no viveiro.

      Segunda pergunta:
      Não é normal, observe suas plantas e alguns insetos (pragas). Pois alguns insetos se alimenta das folhas. Olhe bem. Analise. Na minha pagina tem 3 artigo sobre controle natural, talvez ajude você,

      Terceira pergunta:
      Normalmente as pessoas transplantam direto. Porém, o cuidado com as mudinhas é muito importante. Na fase final, na qual as mudas já atingiram o tamanho de transplante, deve-se irrigar com moderação, de modo a permitir uma “rustificação” ou “endurecimento” das mudas antes de transplantá-las para o campo. Assim suas mudinhas não iram sentir tanto quando for para o campo. Mas para isto leve em consideração o tipo de substrato utilizado, insolação, temperatura, umidade do ar, para não matar suas mudinhas de falta de água.
      Mas sob condições de baixa temperatura, tempo nublado/chuvoso (muita umidade do ar), faça o possível para ventilar suas mudas, de modo a estimular a transpiração. Se a transpiração cair muito, há grande probabilidade de suas mudas desenvolverem sintomas de deficiência de Cálcio (Ca), mesmo que o substrato tenha recebido este elemento, e você também o utilize de forma intensiva via fertirrigação.
      Fique atento ao sombreamento em excesso, pode causar o estiolamento das mudas. Certifique que suas mudinhas estão fortes. As mudas crescem disputando entre si a pouca luminosidade existente e como consequência ficam estioladas. Procure sempre proporcionar o máximo de luz para suas mudas.

      Obrigada por visitar o blog, volte sempre que precisar.
      O blog está aqui para ajudar.

      Resposta

  38. LEDA
    set 27, 2012 @ 11:43:28

    Muito bom ,esse site gostaria de saber quando tiver novidades sobre o plantio do jilo

    Resposta

  39. Luiz Carlos Gonçalves Souza
    ago 23, 2012 @ 21:18:32

    Alessandra, estou querendo começar a produção de jilo, e gotaria de ter seu email para que eu possa tirar muitas duvidas

    Resposta

  40. mary cardoso
    jul 07, 2012 @ 03:06:52

    sou a Mary quero saber oq acontece com meuspes de jilo eu planto els fica lindos, derrepente enferruja e murcha e morre eu fico triste, prk adoro minhas plantas e as flores tbm cai

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      jul 18, 2012 @ 09:44:59

      Olá,
      Vamos confirmar se suas plantinhas tem essa doença:
      A ferrugem causa lesões de coloração amarela a vermelha e em alguns casos branca, de formato arredondado a oblongo. Presença de esporos pulverulentos semelhantes à ferrugem. Esse site tem um foto com folhas com ferrugem:

      http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Trigo/CultivodeTrigo/doencas.htm

      http://www.cnpso.embrapa.br/producaosoja/doenca.htm

      Controle:
      As ferrugens geralmente se beneficiam de climas amenos, com temperaturas moderadas e alta precipitação. Observa-se maiores incidências em anos chuvosos e propensos a formação de orvalho sobre as folhas. Estes fatores se relacionam com a necessidade de haver molhamento das folhas para que o esporo germine. Por isso, irrigação mal manejada pode favorecer aparecimento de ferrugem, o ideal é irrigar o solo ou substrato e evitar molhar em demasia as folhas.

      Existe uma receita de fungicida caseiro fácil de preparar e muito utilizada na agricultura, trata-se da Calda Bordalesa¹. Consiste na mistura de sulfato de cobre, cal hidratada ou cal virgem e água. Esta calda tem eficácia comprovada sobre muitas espécies de fungos e bactérias em muitas plantas, sejam ornamentais, frutíferas, produtoras de grãos ou hortaliças. As aplicações devem ser feitas preventivamente, como a Calda Bordalesa age por contato, após alguns dias ou após uma chuva de média intensidade, deve ser feita nova aplicação. Não aplicar diretamente sobre todas as plantas, deve-se testar em poucas folhas e averiguar se não há toxidez, pode diluir ou concentrar a calda caso necessário.

      Caso não tenha ajudado, volte. O blog está aqui para ajudar. Obrigada

      Resposta

  41. baltazar dos reis
    jun 05, 2012 @ 23:26:58

    boa noite alessandra valeu a informaçao dei uma olhada nos site que voce me indicou e gostei muito porque aprendi que estava fazendo tudo errado estava encharcando as minhas plantinhas inclusive tenho tanbem um pe de araça eos frutos estao rachando antes mesmo de amadurçer se o problema for agua com eçeso esta parte tanbem vai ser controlada muitoobrigado valeu mesmo baltazar

    Resposta

  42. baltazar dos reis
    mai 31, 2012 @ 02:27:17

    boa noite alessandra descrobri este site por acaso e achei muito interessante pois gosto muito de plantar tenho auguns pes de gilo que esta começando produzir mas estou com duvidas no sitema de inrigaçao pois acho que estou molhando muito gostaria de saber como inrigar corretamente desde ja agradeço bltazar

    Resposta

  43. MIQUEIAS DIAS FREITAS
    mai 29, 2012 @ 19:40:33

    BOA NOITE ALESSANDRA,TENHO UM PLANTIO COM APROXIMADMENTE 3 MIL PES NO GOTEJAMENTO PUVERIZO TODA SEMANA CONTRA PRAGAS O AMRELAO COM PINTAS FERRUGINOSAS E A MOSCA BRANCA MAS TA DIFICIL PRINCIPALMENTE A MOSCA BRANCA QUE NAO ACABA,POR FAVOR ME AJUDE A EXTERMINAR ELAS OU ELAS VAO EXTERMINAR MINHA HORTA…….DESDE JA OBRIGADO……………..

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      jun 04, 2012 @ 11:19:00

      Olá….

      Mosca branca é grande problema, e muito dificil de controlada, pois você controla mas seu vizinho controla? Ai fica essa luta. Mas nos períodos secos e quentes favorecem o desenvolvimento e a dispersão da praga, sendo, por isso, observados maiores picos populacionais na estação seca. São hospedeiros preferenciais da mosca-branca: algodão, brássicas (brócolos, couve-flor, repolho), cucurbitáceas (abobrinha, melão, chuchu, melancia, pepino), leguminosas (feijão, feijão-de-vagem, soja), solanáceas (berinjela, fumo, pimenta, tomate, pimentão), uva e algumas plantas ornamentais como o bico-de-papagaio (Euphorbia pulcherrima). Tem sido detectada também em plantas daninhas como o picão, joá-de-capote, amendoim-bravo e datura.

      Controle cultural

      Consiste no emprego de práticas agrícolas rotineiras para criar um agroecossistema menos favorável ao desenvolvimento e à sobrevivência dos insetos.

      a) Plantio de mudas sadias — Quanto mais cedo ocorrer a infecção das plantas pelo vírus transmitido pela mosca-branca, mais danos serão observados, com conseqüente redução da produção. Recomenda-se: produzir as mudas longe de campos contaminados pelo geminivírus e da mosca-branca e longe do local definitivo de plantio; proteger a sementeira com plástico, tela ou tecido; proteger as mudas desde a sementeira até os primeiros 30 dias após o transplante, com inseticidas registrados para a cultura; aplicar inseticida nas mudas, antes do transplante; selecionar mudas sadias e vigorosas para o transplante; e não transplantar antes dos 21 dias.

      b) Uso de barreiras vivas — O objetivo é impedir ou retardar a entrada de adultos da praga na lavoura. As barreiras devem ser perpendiculares à direção predominante do vento e, quando possível, rodear a lavoura. Podem ser usados sorgo forrageiro, milho ou outra planta similar. Por ocasião do transplante do tomate, essas plantas devem estar com 1,0 m de altura. Se possível, deve-se utilizar para barreira plantas que possam ter outra utilidade, como forrageiras, ou plantas para alimentação humana.

      c) Uso de armadilhas — Sua finalidade é atrair e reduzir a população de adultos de mosca-branca. Usam-se lonas, plásticos, potes de plástico, nylon ou etiquetas, de coloração amarela (cor que atrai o inseto), untadas com óleo. As armadilhas devem ser colocadas entre as plantas, na mesma altura das plantas do cultivo.

      d) Manutenção da lavoura no limpo — É necessário eliminar as plantas daninhas hospedeiras de viroses antes do plantio e nos primeiros dias do estabelecimento da lavoura.

      e) Eliminação de restos culturais — Restos de plantas não colhidas devem ser incorporados ao solo, para impedir a formação de um nicho de sobrevivência para ovos, ninfas e adultos de mosca-branca. É importante que os vizinhos da propriedade façam o mesmo.

      f) Plantio de cultivares resistentes — Quando é difícil combater o vetor, a resistência ao vírus é a única opção para controlar o problema. Com tomate, em muitos países, estudos têm mostrado bons resultados com o plantio de cultivares resistentes às viroses.

      Controle químico

      É o tipo de controle mais generalizado, embora na maioria das vezes feito de forma irracional. Para a eficiência do controle químico, devem ser utilizadas as seguintes medidas:

      · Inseticidas — Os produtos registrados para o controle da mosca-branca estão listados na Tabela 1. Devem-se utilizar as dosagens recomendadas nos rótulos. O emprego de óleos (0,5% a 0,8%), sabões e detergentes neutros (0,5%) com aplicação em alta pressão vem sendo recomendado. Esses produtos reduzem a oviposição de mosca-branca e causam transtornos no desenvolvimento das ninfas, especialmente no primeiro estádio. As ninfas não se alimentam na superfície tratada com óleo e morrem desidratadas.

      · Aplicação de produtos em rotação (espacial ou temporal) — Populações de mosca-branca da espécie B. argentifolii resistentes aos diversos princípios ativos são rapidamente selecionadas quando os produtos são aplicados intensivamente. A rotação entre os diversos grupos químicos (Tabela 1) deve ser utilizada para aumentar a vida útil dos inseticidas. Não é recomendado aplicar um só produto ou aumentar sua dose, pois isso favorece a seleção de populações resistentes. A mistura de inseticidas não é eficiente e não deve ser efetuada, com exceção de misturas registradas.

      Tabela 1.
       Produto comercia: A) Cartap, Thiobel (MORTALIDADE DE ADULTOS);
      B) Orthene 750BR, Tiomet 400CE, Faro, Hamidop 600, Metafos, Metamidofos Fer, Nocaute, Stron, Tamaron BR, Hostathion 400, Deltaphos CE, Buldock 125SC, Sumidan 25CE, Danimen 300CE, Meothrin 300, Belmarck 75CE, Sumicidin 200 (MORTALIDADE DE ADULTOS E NINFAS);
      C) Belmarck 75CE, Sumicidin 200, Sauros OS, Mospilan, Confidor, Provado, Thiamethoxan 250WG, Actara, Calypso, Sanmite (INIBE A ALIMENTAÇÃO, VÔO E MOVIMENTO DE ADULTOS, REDUZ A OVIPOSIÇÃO);
      D) Cordial 100, Epingle 100, Tiger 100 (INVIABILIZA ECLOSÃO DE OVOS, ESTERILIZA FÊMEAS E PUPAS, INIBE O DESENVOLVIMENTODE NINFAS)
      E) Applaud (REDUZ A PRODUÇÃO DE OVOS DAS FÊMEAS, ESTERILIZA OVOS, INIBE O DESENVOLVIMENTO DE NINFAS).

      Controle biológico

      Várias espécies de inimigos naturais têm sido identificadas em associação com o complexo de espécies de mosca-branca. No grupo de predadores, foram identificadas dezesseis espécies das ordens Hemiptera, Neuroptera, Coleoptera e Diptera. Entre os parasitóides, identificaram-se 37 espécies de micro-himenópteros. Os parasitóides dos gêneros Encarsia, Eretmocerus e Amitus são os mais comumente encontrados. No grupo de entomopatógenos, várias espécies são citadas, como: Verticillium lecanii, Aschersonia aleyrodis, Paecilomyces fumosoroseus e Beauveria bassiana. A adoção de medidas de controle adequadas – tais como práticas culturais, cultivares resistentes e uso racional de inseticidas – pode favorecer o aumento dos inimigos naturais.

      Espero que eu tenha ajudado ….
      Obrigada

      Resposta

  44. Márcio Antonio da Silva
    mai 29, 2012 @ 15:57:01

    Sou agricultor familiar, estou iniciando no ramo, gostei das informações.

    Resposta

  45. Mara
    mai 21, 2012 @ 22:53:16

    Oi Alessandra,

    Otimo artigo! Tenho uma pergunta, talvez possa me ajudar? Eu simplismente amo jilo!! Se eu pudesse comia todo dia haha!! O problema e que eu moro nos Estados Unidos e aqui nao tem jilo- eu plantei sementes em sementeira como agora estamos an primavera e ainda faz frio a noite trago a sementeira pra dentro de casa, o problema e que ja tem quase um mes que plantei e as mudas parecem muito pequenas, 2 folhinhas com a terceira comecando a aparecer hoje, nao sei se espero as mudas cresceren as 4 folhas ou transplanto logo? Voce acha que vai vingar mesmo demorando pra crescer? So temos mais 4 meses de calor aqui!! Espero que meu jilo cresca!

    Resposta

  46. Eliane
    mai 15, 2012 @ 18:59:14

    Adorei as instrucoes de vcs,moro no USA e estou tentando cultivar alguns pes de gilo mas nao estou sabendo reconhecer as folhas que estao um pouco diferentes das que eu conhecia no Brazil,as minhas estao mais ponteagudas;e assim mesmo?Aqui em New Jersey ainda esta frio e chuvoso,sera por isto que as folhas estao diferentes?Plantei tb na Pennsylvania e as folhinhas estao iguais,demora quanto tempo pra nascer depois da semeadura?Os meus sao lentos demais.
    Beijos e obrigado.
    Eliane Faria

    Resposta

  47. jose nelson fernandes
    mai 05, 2012 @ 14:46:28

    foi legal e bem especifico as orientções

    Resposta

  48. jose nelson fernandes
    mai 05, 2012 @ 14:43:09

    foi válido pelas orientções e de melhores tecnicas de plantio e colheita obrigado!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Resposta

  49. Wilson Donizete Coelho
    abr 06, 2012 @ 16:45:25

    Boa tarde Alessandra, tenho dois pés de jiló em minha horta. Eles ja produziram muitos jilós, mas de um tempo para cá eles estão praguejados com manchas nas folhas de cor amareladas e as folhas vão secando e caindo, os frutos começam a crescer ja amadurecem, ja não consigo mais colher nenhum que preste. Gostaria que me indicasse um inseticida para acabar com a praga.

    Wilson

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      abr 20, 2012 @ 23:46:51

      Olá,
      Vou tentar …

      Pela sua descrição acredito que seja ferrugem, porém posso estar errada, então vou dar as caracteristica dessa doença e vc me diga se ela mesmo:
      Ataca principalmente as folhas, no fim do ciclo, produzindo manchas de cor amarelo- ferruginosa na face inferior e, amarelo-pálido, na face superior. Provoca a queda prematura das folhas o que, ao longo dos anos, debilita a planta, reduzindo sua vida útil. Temperatura e umidade elevadas favorecem a doença. O tratamento deve iniciar com as primeiras manchas. Sobrevive ao inverno em outros hospedeiros (outras espécies) mas, nos climas quentes, isto não é importante para sua sobrevivência.

      Porém existe outra doença: Podridão parda : Atacando ramos, flores e frutos, estende os riscos de perda de produção parcial ou total, até após a colheita. O tratamento químico no inverno, associado às práticas de limpeza por ocasião da poda, é fundamental na redução do potencial de infecção e, conseqüentemente, nos tratamentos no decorrer do ciclo. No início da floração, ataca os botões florais que se tornam pardos e murcham. Não controlada, avança pelo pedúnculo (cabo do fruto) até o ramo, causando-lhe a morte. No fruto, os primeiros sintomas são manchas pardas, pequenas e circulares, que aumentam rapidamente. Os frutos apodrecidos, se não eliminados, agem como fonte para a disseminação da doença. Os frutos, durante seu desenvolvimento, são mais resistentes. Entretanto, ferimentos de origem diversa (insetos, granizo, etc.) são porta de entrada para a podridão parda. É necessário monitoramento constante e eliminação dos focos. Na pré-colheita os frutos tornam-se extremamente susceptíveis, em decorrência do aumento na sensibilidade a danos mecânicos ou por insetos. Cuidados adicionais durante a colheita, como a limpeza dos recipientes com hiploclorito de sódio a 0,5% e a estocagem em lugar fresco após a colheita, contribuem para reduzir as perdas na comercialização ou no processamento industrial.

      Mas meu conselho é que o senhor leve a uma casa agropecuaria na sua região, pois nesse locais encontram eng. agronomos que possa lhe auxiliar.

      Obrigada.

      Resposta

  50. leo
    mar 30, 2012 @ 16:38:36

    posso retirar as sementes do jiló e plantar.? se puder como proceder apos a retirada das cementes, deixo secar ou nao?

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      abr 01, 2012 @ 16:07:14

      Olá,
      Sim, você pode retirar as sementes do fruto do jiló.
      As extrações das sementes podem ser feitos manualmente. Mas a semente não pode ser aquela do fruto que você come, pois ele não está maduro. As sementes estão prontas quando o fruto fica vermelho, bem vermelho, um vermelho vivo, lindo. Mas você pode comprar eles verdes ou colher verdes e deixar madurar.
      Você pode adiquirir os frutos e deixem permanecer 48 horas em condições de ambiente (se ainda não estiver vermelho, deixe o tempo necessario para que a fruto fique bem vermelhinho), pode extrair as sementes, lava-las, secar. Quando tiver bem secas, suas sementes estão prontas para ser utilizadas.
      Ou então umas mudas – quando o fruto amadurece no pé e cai, sempre brotam novos pés ao redor da planta mãe. Com uns 10 ou 15 cm de altura, elas podem ser retiradas junto com o torrão de terra em torno das raízes e plantado em outro lugar.
      Você pode plantar as sementes em bandejas ou em saquinhos planticos.
      Qualquer dúvida estou por aqui.
      Obrigada

      Resposta

  51. fabio
    mar 13, 2012 @ 13:40:40

    ola sou fabio . ja trabalho no plantio de jilo a algum tempo ate agora nunca descobri uma forma de colhe um jilo organico e saudavel sem o uso de agrotoxico poderiia me ajudar.

    Resposta

  52. jose paulo c ordeiro
    mar 06, 2012 @ 16:14:50

    adorei,suas informacoes,meu nome e jose paulo cordeiro,sou mineiro de governador valadares, mas moro em usa,danbury_CT,tbm tenho horta aki na minha casa, e cultivo jilo. aprendi bastante, principalmente a respeito da queda das flores. muito obrigado

    Resposta

    • Vanessa
      jun 05, 2012 @ 23:31:09

      Jose Paulo morro em New Jersey estou plantando jilo..pela primeira vez..talvez vc poderia me da umas dicas…Tambem sou de Governador Valadares..

      Resposta

      • Alessandra C. Oliveira
        jun 21, 2012 @ 00:07:15

        Olá,

        Quais dicas o senhor necessita???
        O blog está aqui para ajudar.

        obrigada
        Alessandra

        Resposta

      • Vanessa
        jun 21, 2012 @ 21:08:35

        Alessandra..morro nos Estados Unidos..plantei o jilo ..estamos em junho. A minhas plantaaestao com muitas folhas mas o pe esta pequeno..estou preocupada..se vai dar tempo pra colheita..transplantei no inicio de maio..temos mais tres meses de verao sera que vai dar tempo..qual altura nomal do jiloseiro?

        Resposta

      • Alessandra C. Oliveira
        fev 23, 2013 @ 14:42:23

        Desculpe a super demora…. mas não vi que vc tinha respondido….

        Talvez vc consiga colher alguns frutos sim… Se o seu plantio for em vaso, uma dica é deixar ela dentro de casa quando estiver frio e colocar ela de fora quando pintar um levo calorzinho. Pq vc vai começar a colher em 80 a 100 dias após o plantio e durante 3 a 6 meses.

        Uma outra dica é:

        Estufa é um ambientes protegido que propicia um micro clima adequado ou próximo ao ideal para o desenvolvimento das culturas. As estufas podem ser pequenas, cobrindo somente uma bancada, ou podem ser grandes e cobrir várias bancadas.

        Como no interior das estufas a temperatura máxima do ar é mais elevada, sendo a mínima praticamente igual à do ambiente externo, a amplitude térmica diária verificada no interior das estufas é maior em relação à do ambiente externo.

        Acredito que ajudaria muito uma estufa, pois evita ventos o que é muito ruim na fase de flor e frutos pequenos, e a temperatura não aumentaria muito, mas com certeza o pouco que aumentar ajudaria ela a terminar o ciclo.

        Espero ter ajudado e volte sempre que precisar… :)

        Resposta

  53. Francisco Frederico
    fev 08, 2012 @ 22:01:21

    Passei somente por curiosidade e acabei gostando da matéria, excelentes informações.

    Um grande abraço,

    Resposta

  54. Leondas de sousa santos
    jan 08, 2012 @ 10:44:23

    meus pés de jiló estão produzindo até bem, só que os frutos estão aparecendo uma cor amarronzada ou até mesmo racham o que devo fazer?

    Resposta

  55. Carlos Cardoso
    dez 19, 2011 @ 08:31:48

    Carlos/Passos-MG – Tenho alguns pés de Jilo e também de pimentas ( cumari e jalapeno), todos estão muito enfolhados e com uma boa carga. Acontece que tem joaninhas cortando os talos das plantas. Gostaria de saber se tem algum controle natural que possa esta pulverizando e evitando essas pragas. Obrigado

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      dez 19, 2011 @ 18:50:57

      Olá Carlos Cardoso,

      Acredito que seja outra praga que esteja cortando suas plantas, pois as joaninhas são inimigos naturais.

      Os inimigos naturais das pragas são, portanto, os grandes aliados dos produtores no controle das pragas em suas lavouras. Entre eles estão as joaninhas, as quais são insetos predadores da família Coccinellidae da ordem Coleoptera (que reúne os insetos vulgarmente conhecidos como besouros).
      Entre as presas das joaninhas, estão os insetos ácaros fitófagos (que se alimentam de plantas), como os pulgões, as cochonilhas, as moscas brancas e os psilídeos, que danificam uma variedade de plantas cultivadas. As joaninhas também predam ovos e pequenas larvas de coleópteros e lepidópteros (mariposas), os quais reúnem várias espécies de insetos que causam prejuízos econômicos às plantas cultivadas. No caso de joaninhas que predam pulgões, o total dessa presa consumido por uma joaninha pode chegar a 1.000 pulgões, durante toda a sua vida.
      Os adultos das joaninhas são notoriamente conhecidos por sua coloração, que geralmente é bastante variada entre as espécies. Os adultos de espécies de cor vermelha, amarela, laranja e brilhantes, sem ou com manchas geralmente pretas, alimentam-se de pulgões (são chamadas de afidófagas), enquanto que as espécies escuras, geralmente pretas brilhantes, alimentam-se de cochonilhas (são chamadas de coccidófagas), moscas brancas e ácaros.

      Denomina-se praga os insetos e outros animais invertebrados que causam danos de importância econômica variados. Os insetos podem ser sugadores ou mastigadores. Os sugadores atuam sugando a seiva das raízes, caules, ramos, folhas e frutos, causando definhamento das plantas. Os mastigadores atuam destruindo os tecidos, causando lesões que servem freqüentemente de porta aberta para invasão de microorganismos. Além dos insetos, são considerados pragas os nematóides, lesmas e caracóis.

      Não sei ao certo que inseto esteja prejudicando sua plantação, mas os mais incomodos (cortam) são as formigas e alguns grilos bem pequenos. Observe sua plantação.
      Se o problema for formiga, formicida é ótimo. Em caso grilos pequenos (diabrotica spciosa ou tbm conhecido com vaquinha), pulverize se for orgânico com URINA de VACA diluida em AGUA 5 ml para 20 litros de agua ou se for convecional usar deltametrinh q acha pelo nome de DECIS 25 CE concentrado emusionavel. E realize uma puverização via foliar com NPK + micro.

      Caso não tenha respondido sua pergunte, o site está a sua disposição.
      Obrigada

      Resposta

  56. cesar buratin
    nov 07, 2011 @ 21:19:07

    ola, meu nome é cesar. muito bom esse topico. sou produtor de gilo na regiao de mogi guaçu no estado de sao paulo. esses dois ultimos anos consegui sem nunhuma poda colher mais de 800 caixas por 1000 plantas no periodo de 6 meses. ainda q com o tempo muito frio perdi muitos frutos devido a falta de semente no fruto. ai esta um link de uma entrevista em minha propriedade.

    g1.globo.com/videos/economia/globo-rural/v/prenda-uma-receita-de-estrogonofe-de-jilo/1632084/

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      nov 08, 2011 @ 17:49:36

      Olá Cesar,
      Adorei o video e parabéns …..
      Está muito lindooooo ….
      Continue olhando o site e fique a vontade para responder as dúvidas das pessoas, assim trocando informações o blog pode ficar ainda melhor para vc, para nós ….
      Caso o senhor tenha interesse em escrever algum artigo, o site está aqui para nosso beneficio ….
      Obrigada
      Alessandra

      Resposta

  57. Mauro T Resende
    out 30, 2011 @ 09:33:35

    Alessandra, bom dia
    Estou um problema, as Flores da Jilo esta caindo, mais como no comentario acima não e inseto, vc pode me ajudar, o pe de jilo esta muito bonito sem praga, mais as flores para vira o fruto fica mucha e caem, vc pode me responder este problema. Grato . Mauro

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      nov 08, 2011 @ 17:45:00

      Olá Mauro, o problema das flores de jilo pode ser varias coisas, porém podem estar caindo basicamente por 3 motivos, verifique qual destes pode estar causando o problema:
      – irrigação errada, ou falta de água ou excesso. Irrigue colocando água diretamente no solo sem atingir as folhas; Corrija a irrigação p/ solucionar o problema.
      – ataque de inseto sugador(percevejo ou cigarrinha) estes insetos sugam a flor e causam a sua morte que caem ainda sem abrir; ou ainda pode ser ataque de besouros ou paquinhas(grilo) que geralmente atacam à noite; Pulverize uma calda repelente a base de chá de fumo de corda com alho.
      – doença fungica, muitas doenças atacam flores impedindo a polinização e causando sua queda.
      Normalmente um técnico em sua cidade, em casas agropecuarias, pode desvendar o seu problema, pois eles podem olhar de perto o seu pé de jiló. Mas tente controlar a umidade das folhas, evitando molhar ao final do dia e sempre pela manhã.
      Precisando estou por aqui ….
      Obrigada
      Alessandra

      Resposta

    • cesar buratin
      nov 08, 2011 @ 19:37:08

      amigo se seu pé estiver muito carregado pode tambm ocasionar a queda de alguns frutos ainda nao formados. e tambem pode ser o clima muito frio

      Resposta

  58. walter alexandre montandon
    out 26, 2011 @ 19:38:28

    estou entusiasmado com o profissionalismo de vcs. aguardo mais informações.
    obrigado

    Resposta

  59. walter alexandre montandon
    out 26, 2011 @ 19:37:08

    olá, boa noite,estou gostando das informações.
    estarei iniciando o plantio de jiló, gostaria de saber qual a variedade recomendada,uma vez que resido na regição de /Barretos-sp. obrigado

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      out 26, 2011 @ 20:16:48

      Boa noite ….
      O jiló é uma cultura muito interessante, pois é uma planta típica de clima tropical, sendo plantado nos periodos de primavera e verão, e onde o inverno não muito rigoroso ele pdoe ser plantado o ano todo. Mas existem variedades para o verão, inverno e as que podem ser cultivadas o ano todo.
      O jiló é cultivado em várias regiões do Brasil, para que se desenvolva bem o jiloeiro necessita de um ambiente propício que contenha solos areno-argilosos que sejam bem drenados e preferem climas quentes, cuja temperatura esteja em torno de 26 a 28 graus Celsius. A propagação é feita através de sementes, sendo a colheita iniciada após 90 a 100 dias do plantio, podendo este tempo prolongar-se por mais de 100 dias, se as plantas apresentarem boa sanidade e vigor.
      No Brasil as mais comumente encontradas são a Morro Grande e Rei do Verde, onde os frutos são de formato redondo, e a Comprido Verde-claro e Tinguá, onde os frutos são de formato alongado. A Morro Grande possui um sabor mais amargo, se comparada com outras variedades, e é a cultivar predominante do mercado paulista.
      Porém, em casas agropecuárias, onde o senhor encontrará as sementes, eles provavelmente tem as variedades indicadas para sua região.
      Mas caso o senhor necessite de mas informações o site está a sua disposição.
      Obrigada

      Resposta

  60. Cássia
    out 14, 2011 @ 11:20:59

    querida, muito obrigada…vou já tomar providências.

    Resposta

  61. Cássia
    out 03, 2011 @ 10:50:58

    Olá! Parabéns pelo artigo.
    Estou com um problema com meu jilozeiro, ele está soltando suas primeiras flores e elas estão caindo, percebi que tem um bichinho bem pequeno e com asas, quando tento pegar ele salta como se fosse um grilo, ele tá ferindo o caule, e também tem umas formiguinhas pretas. O que posso fazer, me ajude e muito obrigada.
    Cássia

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      out 03, 2011 @ 19:56:43

      Olá … obrigada … que bom que gostou do artigo ….
      Então …. as formigas-cortadeiras, assim chamadas pelo hábito de cortar as folhas das plantas, como saúvas (as do gênero Atta) ou quenquéns (as do gênero Acromyrmex), podem causar sérios prejuízos a culturas agrícolas, tem o hábito de cortar partes verdes de plantas e levá-las para dentro dos formigueiros, onde servem como substrato para o cultivo de um fungo, do qual esses insetos se alimentam. A senhora tem que reparar como é a sua formiga, mas o melhor controle para esse tipo deformiga é formicida granulado, muito bom. Mas existem formigas que adoram doces, por exemplo os pulgões tem uma alimentação exclusivamente de seiva, esses insetos eliminam grandes quantidades de um líquido adocicado do qual se alimentam as formigas que, em contrapartida, os protegem dos inimigos naturais. Outra praga que poderia atrair as formigas seria mosca-branca, pois ela alimenta-se atraves da sucção de seiva da planta e eliminam fezes com substãncias adocicadas. Verifique em sua área se não há mosca-branca ou pulgão; elas costumam ficar na parte inferior da folha.
      Agora sobre a outra praga, a senhora poderia estar fazendo uma analise dessa praga e passar mais caracteristicas. Mas se a senhora me permitir, procure uma casa agropecuaria, pois nesses estabelicimentos sempre tem um técnico ou agronomo que poderá orientá-la melhor.
      Espero que tenha ajudado.
      Obrigada

      Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      out 04, 2011 @ 17:23:13

      Olá ….
      Perguntei para um leitor do blog, Ismaylon, ele é tecnico agrícola…. e pedi uma ajudinha para ele…
      Espero que te ajude….
      “Jilo emitindo flores e pecano pode ser falta de agua,falta de adubação quas quer,mas como ela falo desse bichiinho ai e a diabrotica spciosa ou tbm conhecido com vaquinha,peça para ela pulverizar se for orgânico com URINA de VACA diluida em AGUA 5 ml para 20 litros de agua ou se for convecional usar deltametrinh q acha pelo nome de DECIS 25 CE concentrado emusionavel.e realizar puverização via foliar com NPK + micro….. Ismaylon”
      Obrigada ….

      Resposta

  62. Alexandre Armond Nunes
    set 29, 2011 @ 00:28:35

    muito bom artigo.Estou cultivando jilo aqui em Toronto,Canada.porem agora a temperatura esta ficanco frio,10 graus,as vezes 5 graus positivos a noite,sera que se eu fizesse um green house,em volta dos pes,eles aguentariam por algumas semanas,pois os pes estao carregados de jilo e flor? obrigado ,Alexandre

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      set 29, 2011 @ 10:07:37

      Olá Alexandre, antes de responder sua dúvida, vou esclarecer um termo que talvez algumas pessoas não saibam, me corriga se estiver errada, greenhouse é um termo usado em inglês, o que significa em português ESTUFA. Estufa é um ambientes protegido que propicia um micro clima adequado ou próximo ao ideal para o desenvolvimento das culturas. As estufas podem ser pequenas, cobrindo somente uma bancada, ou podem ser grandes e cobrir várias bancadas.

      Pronto, vamos a sua pergunta. A estufa tem como umas das caracteriscas o microclima, deixando sempre a parte de dentro mais quente que do lado de fora.

      Aqui no Brasil é muito comum regiões quentes, muito quentes, e para aliviar as altas temperaturas alguns produtores abrem a lateral para circular o vento e diminuir a temperatura.

      No seu caso você que manter a temperatura, como no interior das estufas a temperatura máxima do ar é mais elevada, sendo a mínima praticamente igual à do ambiente externo, a amplitude térmica diária verificada no interior das estufas é maior em relação à do ambiente externo.

      Acredito que ajudaria muito se sim a estufa, pois evita ventos o que é muito ruim nessa fazer de flor e frutos pequenos, e a temperatura não aumentaria muito, mas com certeza o pouco que aumentar ajudaria ela.

      Caso não tenha respondido sua dúvida, mande outro e-mail que procurarei outros meios de informações e que possa orientá-lo.

      Obrigada

      Resposta

      • Alexandre Armond Nunes
        out 04, 2011 @ 21:31:15

        muito obrigado pela sua resposta ,a estufa ajudou muito,4 dias atras a temperatura foi a um grau negativo,e neste momento esta 12 graus,e os pes de jilo esta bem e os jilos cresceram muito.DEUS abencoe muito voce,obrigado mais um vez..tchau.

        Resposta

  63. Adilson do carmo
    ago 13, 2011 @ 20:37:49

    Boa noite, visto que estamos no verao e a noite aqui so cai depois das 22 nao tive tempo antes de ver sua resposta, feliz estou por conversar ou trocar ideias com alguem interessado em realmente apoiar iniciativas que podem ser resolutivas nestes aspectos, sou tecnico agricola e ja a algum tempo venho desenvolvendo trabalhos no campo da agropecuaria, agora por conta propria como ja disse cultivo jilo e quiabo, visando atender a populaçao imigrante brasileira e a africana que nao e pequena, partindo desse ponto de vista preciso ter qualidade uma vez que ja existe o produto em pequena escala no mercado vindo da america do sul e da asia. Em relaçao ao quiabo tudo vai muito bem porem o jilo nao tenho obtido resposta satisfatoria uma vez que plantei-o a seguir uma cultura de alface cuja area tenho irrigaçao semelhante a asperçao ou seja linhas aereas, alem da maturaçao precoce dos frutos a muita queda das flores. acho que tambem pequei no adenssamento, segundo estas colocaçoes por favor orienta.me. DESDE ja comprimentos e boa noite, bom fim de semana Adilson do carmo

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      set 29, 2011 @ 10:29:35

      O senhor disse que estão amadurecendo mais cedo, o senhor deve ter escolhido algum variedade precoce, ou microclima causado pelas gotas do aspersor adiantou o amadurecimento, mas não se preocupe, pois a senhor terá uma colheita antes, o senhor estará adiantando a sua colheita. O fruto deve ser colhido ainda verde, porém no tamanho máximo, e pode ser colhido uma ou duas vezes por semena.

      A irrigação por aspersão ela tem como objetivo simular uma chuva, caso sua irrigação não esteja bem dimensionada a pressão e força da água pode derrubar as flores.

      O adensamento das plantas será problema: no crescimento da planta e na quantidade de frutos, pois uma planta com menor espaçamento crescerá menos comparado com uma de espaçamento maior.

      Tome cuidado com algumas pragas que atacam o jiló, sendo que o ácaro vermelho é a principal, e as doenças mais incidentes são antracnose e tombamento.

      Oligonychus yothersi, normalmente denominado “ácaro vermelho”, produz uma teia onde colocam os seus ovos. As ninfas são de coloração amarelada e os adultos vermelho-amarelados. A colônia se prolifera nas folhas, protegida por filamentos sedosos que formam uma teia. O. yothersi.: atacam folhas jovens e adultas, normalmente em reboleiras, provocando o bronzeamento, sendo que ataques severos podem provocar o desfolhamento.

      Antracnose

      Caracterização da doença e danos

      Causada por Colletotrichum sp., é uma doença que incide principalmente nas brotações jovens, ápices, folhas e ramos jovens.
      Nas sementeiras, geralmente ocorre a queima do ápice das plântulas, impedindo seu crescimento e provocando seu perfilhamento. Os principais sintomas são: manchas escuras, irregulares, incidindo, principalmente nas bordas, causando deformações nas folhas jovens.

      As condições favoráveis ao desenvolvimento dessa doença são sombreamento excessivo, umidade excessiva. Danos causados por insetos e geadas também favorecem a instalação do fungo.

      Tombamento

      Caracterização da doença e danos

      É o principal problema fitossanitário das sementeiras, podendo ocorrer na fase de pré ou pós-emergência das plântulas. Os principais fungos associados são: Botrytis sp, Cylindrocladium spathulatum, Rhizoctonia sp., Fusarium sp. e Pythium sp.

      Quando o tombamento ocorre na pré-emergência das plântulas, a semente não germina, ou inicia a germinação mas não chega a emergir. Na pós-emergência, ocorre o estrangulamento da plântula na região do colo, provocando seu tombamento, o que dá origem ao nome da doença. Esses sintomas geralmente ocorrem em reboleiras, isto porque a doença se expande em todas as direções, formando áreas mais ou menos circulares.

      Estou a disposição.
      Obrigada

      Resposta

  64. adilson do carmo
    ago 13, 2011 @ 09:25:35

    Ola, obrigado pelas informaçoes, chamo.me adilson e estou batalhando o cultivo do jilo aqui em Portugal, como existe muita oscilaçoes a nivel do clima optei pelo cultivo em estufas. As minhas questoes voltam se para ; no inverno que dura normalmente de novembro a março , mesmo em estufas cuja estrutura me permite manter a temperatura amena por volta dos 20 graus, conseguirei produçao que justifique a manutençao da cultura. adoraria poder manter contato profissional uma vez que poderia surgir se for do seu ou vosso interesse uma relaçao quiça comercial. Adilson do carmo

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      ago 13, 2011 @ 12:15:49

      A cultura do jiló é uma planta de clima quente e muito exigente em temperatura (o que agrada a cultura com certeza não é o inverno), mas aqui no Brasil plantasse a cultura o ano todo, mesmo com o inverno. Alguns produtores onde a região é mais fria trabalhão com rotação de culturas, outras regiões é mais tranquila extende-se mais tempo (as colheitas iniciam-se aproximadamente 80-100 dias após a semeadura, podendo estender-se por mais de 100 dias, o que possibilita inclusive a realização de uma nova colheita na primavera seguinte, após o inverno (caso seja feita uma cobertura com nitrogênio e recomecem as irrigações)).
      Aqui os meses mais indicado são os meses de setembro a março (é a primavera e o verão), sendo que também é cultivado ao longo do ano, porém em regiões de baixas altitudes e que apresentam inverno suave, visto que a cultura é bastante sensível ao frio.
      Vejo que vc consegue manter 20 graus celsus tanto a noite como de dia, acredito que isso seja o suficiente para não prejudicar sua cultura, contando que sua cultura está dentro de uma estufa, o que ajuda em alguns dias bem mais frio protege-la.
      Em regiões com condições climáticas adversas, tais como frio intenso, chuvas e ventos, a cobertura de plástico permite que se cultive jiló praticamente o ano todo. Este tipo de cultivo geralmente reduz o ataque de pragas e doenças e propicia economia de insumos. Os frutos apresentam melhor aparência e qualidade e o período de colheita prolonga-se por mais tempo.
      Mantenha sempre em ordem seus tratos culturais, controle de plantas daninhas, doenças e pragas. Caso seja necessario utilize estaquiamente e nunca esqueça das irrigações e as adubações, para ter sempre uma planta forte.
      A adubação básica (orgânica e química) em cultivo protegido é similar à recomendada em cultivos em campo aberto e também deve ser realizada com base na análise de solo. É feita em torno de cinco dias antes do plantio e distribuída a lanço sobre o canteiro. Para a incorporação dos fertilizantes ao solo pode-se utilizar enxada rotativa ou roto-encanteirador.
      O sistema de irrigação mais adequado é o gotejamento, que permite aplicação localizada da água, sem molhar a parte aérea da planta (o que ajuda o senhor com doença). Em solos de textura média e argilosa usa-se uma linha de gotejamento por linha de plantas de jiló, com espaçamento de 0,3 a 0,4 m entre gotejadores.

      Obrigada por ver o site.
      Se o senhor se interessar em escrever algum artigo ou sugerir algum tema fique a vontade também.
      Estou aqui para ajudar da melhor forma possivel. E sim, poderemos manter um contato profissional.

      Resposta

    • Andréa
      nov 06, 2012 @ 17:22:04

      Adilson,li no seu comentário que você cultiva jiló em Portugal.
      É para venda? Sou apaixonada por jiló,mas em 4 anos que estou aqui,nunca encontrei.

      Resposta

    • Andréa
      nov 06, 2012 @ 17:26:37

      Desculpa por não ter enviados os agradecimentos junto com o comentário anterior …
      Desde já agradeço

      Resposta

  65. Luciana
    ago 01, 2011 @ 13:04:30

    gostaria de saber qual é a vida útil do pé de jiló, pois os meus produzem muito depois secam como um todo. obrigada

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      ago 13, 2011 @ 12:21:54

      –> as colheitas iniciam-se aproximadamente 80-100 dias após a semeadura, podendo estender-se por mais de 100 dias, o que possibilita inclusive a
      realização de uma nova colheita, caso seja feita uma cobertura com nitrogênio (uma boa adubação para fortalacer a planta) e recomecem as irrigações.
      O processo da colheita tem início cerca de 80-100 dias após a semeadura, podendo o mesmo estender-se a três meses ou mais, dependendo das condições fitossanitárias e do manejo ao qual está sendo submetida a cultura.
      –> Pode ocorrer uma segunda colheita, porém com menor produtividade, o recomendado é colheita os 100 dias corridos e replantar. A dica é intercala o plantio para vc possa ter o ano todo jiló. Outra dica é fazer uma rotação de cultura se possivel, o que alivia o solo e ameniza pragas e doenças.

      Caso não tenha respondido sua dúvida mande de novo outro e-mail.
      Obrigada

      Resposta

  66. dulce
    jul 22, 2011 @ 09:23:18

    o meu pe de jilo nasceu com as folhas mais arrendondadas diferentes de outros que eu ja vi. O que sera que aconteceu?

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      ago 13, 2011 @ 12:17:49

      Para eu poder te dizer com mais clareza, teria que ver a folha ou a planta, você tem uma casa agropecuria na sua cidade!? Normalmente eles tem um agronomo, você levando alguma parte da sua planta, ele ajudaria vc. Mas como vc nao deu muitos detalhes, teoricamente o clima pode alterar o formato da planta, quando muito frio. Mas também pode ser doenças, mas só com o formato não tem como eu dizer o que é, quando é uma doença ela vem sempre com alguma alteraçao da cor, alguma praga junto, bolhas, manchas (enfim muitas outras), mas também pode ter acaros.
      Mas se te preocupa muito, aconselho vc ir até a casa agropecuaria.

      Obrigada pelo e-mail.
      Caso necessite de mais ajuda estou por aqui.

      Resposta

  67. paulo roberto
    jun 27, 2011 @ 21:25:03

    gostei muito das informaçoes do cultivo do jilo,mas nminha pergunta e o seguinte existe poda para o cultivo do jilo , se tiver gostaria de saber como proceder.

    grato

    paulo

    Resposta

    • Alessandra C. Oliveira
      jul 04, 2011 @ 20:14:34

      A poda: será realizada uma poda de renovaçao no terceiro mes após o inicio da colheita. Em decorrencia de sucessivas colheitas, de envelhecimento natural, até mesmo a ocorrencias de pragas e doenças, recomenda-se a retirada dos ramos piores ou até mesmo a renovação total.

      Esta poda também é recomendada para plantas em que a altura já chegou a um ponto que dificulta a colheita, podendo ocasionar acidentes, além do encarecimento da colheita.

      O período mais indicado, quando a atividade fisiológica da planta é baixa. Deve-se proceder de acordo com a situação das plantas, realizando-se a poda de forma gradual ou sistemática.

      Caso nao tenha respondido e ainda esteja em dúvidas, estou a disposição.

      Obrigada

      Resposta

  68. juslaine camargo
    jun 15, 2011 @ 16:36:28

    Otimo artigo, muito importante para nós agricultores. Com informações esclarecedoras facilita-se a cultura dp jilo.
    Juslaine Camargo

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 535 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: